Monday, July 17, 2017

Como montar looks pinup inspirados em sereias / How to coordinate mermaid-inspired pinup looks

ENGLISH TRANSLATION COMING SOON

Angelique Noire for Pinup Girl Clothing

Acho que não é novidade para ninguém que sereias estão no topo da minha lista de coisas favoritas, ainda que eu não goste de ir à praia (na minha imaginação, eu sou uma sereia de um lugar onde não faz sol, a água tem gosto de algodão doce e é glitter no lugar de areia #aloka). Há uns dias, andei pensando: "Navy é um tema tão comum em pinup, mas sereia é raro de se ver!". Pensando nisso, fui atrás e pesquisei como montar um look com temática de sereia! Vem ver! ♥

CORES / COLORS



Eu diria que qualquer cor serve, desde que tenha os elementos certos, mas os tons que remetem à água são as opções mais seguras, como branco, azul, anil, verde e verde água. Eu particularmente não sou fã dessas tonalidades e gosto de puxar para uma sereia "Barbie" como na segunda imagem. Cores holográficas e iridescentes são maravilhosas também e tem tudo a ver! Adoro tonalidades pastéis para sereias, principalmente na primavera.

ESTAMPAS / PRINTS

Evite estampas de âncora e roda do leme porque são diretamente associadas ao navy. Lembre-se: aqui o propósito não é parecer uma marinheira, e sim uma sereia. Acho que estampa de hibisco é muito tiki, prefiro arriscar somente com uma boa quantidade de acessórios "sereísticos" para complementar o look. Aposte em conchas, escamas, peixes, cavalos marinhos e estrelas do mar. E claro, também têm marcas que oferecem estampas originais em coleções inspiradas em sereia e temática marinha, que é o caso da Pinup Girl Clothing


 

ACESSÓRIOS / ACCESSORIES

Acessório é a alma de qualquer look, de qualquer temática. Embora estampas contribuam bastante, é possível montar um look temático sem estampas e apenas acessórios. Dá pra criar uma infinidade de bijuterias com conchas, naturais ou artificiais. Mas quando se trata de estrelas do mar, por favor, USE ARTIFICIAIS, não é nada diferente de usar casaco de pele verdadeira. 
Pérolas são as contas mais comuns, queridinhas das pinups não só para looks com inspiração marinha - e eu também prefiro usar artificiais. Sabia que, ao retirar as pérolas de uma ostra, ela morre? Usando pérolas artificiais, você não só economiza muito dinheiro, como também não sustenta o massacre de várias ostras. Para não ficar só na pérola, use contas com efeito iridescente (que é o efeito do cristal swarovski em formato de concha na imagem ao lado). Flores também podem entrar, dê preferência à tropicais como hibisco, orquídea (como na foto da Angelique Noire) e plumeria, e pode tentar acrescentar algas e corais (a HSama tem um tutorial incrível de algas de tecido aqui). 
No cabelo, acho lindíssimo pentes, presilhas de concha, estrelas do mar e flores e o velho e querido lenço de nylon. Que tal fazer um casquete de conchas? E ousar com uma coroa de rainha do mar? Enfeitar uma blusa sem estampa com um broche? Libere a criatividade! 

    
  



MEIAS / STOCKINGS

Meias são o bônus especial de qualquer look pinup, a cereja do bolo e o toque final, e você pode tentar opções diferentes como meias de risca azul e arrastão com pedrarias. Ambos são bem fáceis de encontrar em lojas baratinhas como o Aliexpress (ou tente customizar as meias com pedrarias, é bem fácil e tem vários tutoriais no YouTube). 

 


MAQUIAGEM / MAKEUP

Existe uma infinidade de maquiagens que você pode tentar, com tons dourados, perolados, azuis, lilases e verdes, além de poder abusar bastante do glitter. A minha dica é misturar o batom vermelho nosso de cada dia com gloss com glitter ou um lip topper babadeiro como os Diamond Crushers da Lime Crime. Experimente cílios postiços com pedraria, delineador metálico, pigmentos de cores vibrantes... Coloque a criatividade para funcionar! 





Isso é tudo pessoal! Se gostou deste post, venha conferir este aqui sobre lifestyle sereístico! Deixe um comentário dizendo se gostaria de ver mais postagens deste tipo por aqui, ou se tem alguma dica para acrescentar! 
Beijos de sereia ♥ 

Saturday, July 8, 2017

Resenha: Géssica Rouse Original Dresses

Message to my international little swans: This post in Portuguese only. I apologize, babies! But don't worry, posts with English translation will still happen! 



Olá meus little swans lindos, quem estava com saudades de resenhas? Pois bem, hoje trago uma sobre a Géssica Rouse Original Dresses, uma marca independente de roupas retrô sob medida! O perfil no Facebook da marca me adicionou no meu pessoal e desde então venho babando nas criações da Géssica. Eis que no final de maio, minha mãe quis me dar uma saia godê de presente porque é algo que eu venho querendo há muito tempo e tinha uma festa para qual fomos convidadas vindo aí. A festa seria no dia 10 de junho, então eu teria que procurar rápido alguém que pudesse fazer com um prazo bom. A Géssica foi uma das primeiras opções que conferi e foi a escolhida! 

ATENDIMENTO, ENCOMENDA E PAGAMENTO

A Géssica é uma fofa, SUPER atenciosa e cuidadosa com as encomendas. Responde rápido, é bem educada e até me mandou a foto do tecido para confirmar a cor. Eu pedi uma saia godê rosa claro semelhante ao da logomarca da marca, ela me mandou uma foto com o business card deles ao lado do tecido haha ♥ Para saias, ela pede apenas a medida da cintura (a minha é 65cm, tamanho 36) e pergunta qual comprimento você quer - eu quis 60cm. O pagamento eu fiz pelo cartão de crédito e é pelo PagSeguro, ela envia um email com o link da transição, mas acredito ter como pagar por depósito também.

ENVIO E A SAGA DA ENCOMENDA EXTRAVIADA

A Gessica fez a saia bem rápido e enviou à tempo da festa, uma semana antes. O problema é que os correios, aquele queridíssimo (só que não), fez chover no meu desfile: confundiram o container quando estava em Belo Horizonte e extraviaram para Curitiba. Na segunda-feira (5 de junho) o rastreio informava que estava sendo encaminhado para a minha cidade. Na quarta, desesperei. Tentei ligar para a central e não tive resposta. No dia seguinte, fui até a central, que é longe para caramba da minha casa, e lá recebi a notícia do extravio. Precisei mudar meu look, que ficou bonito, mas eu queria muito, muito ir à festa com a minha saia godê! E infelizmente, não tive como tirar nenhuma foto decente do que vesti. :(

O PRODUTO


O pacote chegou no dia 19 de junho (segunda-feira) e veio em uma caixa parda comum, mas quando abri, OMG! Que embalagem amorzinho, com cartinha, adesivos de gatinhos e tudo ♥ A saia veio dobrada corretamente, e com um cinto de brinde, que infelizmente ficou muito grande tanto para minha cintura quanto o quadril (porém devo trocar o elástico em breve e reaproveitar - e eu também não sou a maior fã de animal print, então talvez eu teria mudado o elástico de qualquer jeito). Eu amo quando recebo uma encomenda e tem cartinha do(a) seller, sinto que ele(a) depositou muito carinho e dedicação ali! 
Fiz um unboxing no My Story do Instagram e irei fazer sempre que eu receber alguma encomenda, sigam lá! @amyhswan_

  





A saia me serviu como uma luva e o comprimento veio do jeitinho que eu queria, a cor é ainda mais próxima do que eu queria pessoalmente. É perfeita pra usar tanto no dia-a-dia quanto para ir à algum evento. Destaque pra etiqueta super fofa com um lacinho do lado! Eu queria ter encomendado uma anágua branca também, mas faltou dinheiro. Quem sabe da próxima!


NOTA FINAL:

5/5!

Não desconto ponto nenhum, pois o extravio e atraso não foram culpa da Géssica, e sim dos correios. Ela fez tudo com muito cuidado e recomendo muito o trabalho dela. Com certeza vou comprar de novo com ela. Vocês podem encontrá-la em:


E isso é tudo pessoal! Fica aqui a dica de uma lojinha retrô incrível! E aqui vai um "spoiler" de resenhas futuras:
. Outra compra na Xtras: delineador em caneta Bourjois e batom laqueado Maybelline
. Meias de risca e salto cubano do Aliexpress

Se gostou deste post, deixe um comentário, pois é muito importante para ajudar o blog a crescer! Beijinhos ♥

Sunday, June 18, 2017

Adeus à Adam West / Farewell to Adam West


O post desta semana iria ser outro, mas com a triste notícia que o mundo recebeu no fim de semana passado, eu me senti no dever de mudar os planos. Nosso querido e enaltecido Adam West, o Batman de 1966 e a mais icônica versão live-action do herói, faleceu na sexta-feira (9 de junho) após a luta contra a leucemia, aos 88 anos. Como uma fã de Batman há certos anos, o falecimento de West me abalou profundamente. Não me lembro de ter me sentido tão triste com a morte de algum famoso antes. E sendo fã, creio que o mínimo que devo fazer é uma postagem em tributo.
This wasn't supposed to be this week's post but the deeply sad news that ran the world in the past weekend kind of forced me to change the plans. Our beloved Adam West, the 1966 Batman and the most iconic version of this hero, died on Friday 9th after losing his battle against leucemia, at age 88. As a fan of Batman for quite a time, West's death made me feel groundless. I don't remember feeling so sad because of a death of a celebrity before. And as a fan, it's my job to post a tribute for him.


Não posso dizer que West foi o Batman da minha infância. Sou muito nova, tenho apenas 19 anos, nasci no final dos anos 90. Meu primeiro foi o do Val Kilmer no horrível "Batman Eternamente" (que por algum motivo eu gostava) e o da animação "Liga da Justiça Sem Limites" de Bruce Timm, que era transmitido ao final da manhã no SBT (gostaria que o de BTAS tivesse sido meu primeiro, mas nasci seis anos após este). No entanto, foi o primeiro Batman do meu pai. Ele assistia à série todas as tardes quando menino e tinha vários Batmóveis de brinquedo. Foi um personagem bastante presente em sua infância. Muitos adultos de hoje compartilham das mesmas memórias do meu pai, o Batman colorido e rodeado por onomatopeias que tornava qualquer tarde mais divertida. Tive a chance de assistir à série pela primeira vez apenas na adolescência, depois que comecei a ler quadrinhos, e me apaixonei por aquela versão mais descontraída do personagem. Gosto de assistir pela Rede Brasil e um episódio sempre anima meu dia. É um momento de distração onde esqueço todos os problemas por vinte minutos e embarco com a dupla dinâmica para mais uma aventura.
I can't say that West was the Batman of my childhood. I'm really young, I'm only 19 years old, was born in late 90's. My first was Val Kilmer's from the horrible "Batman Eternal" (I liked that movie for some reason) and Bruce Timm's from the animated series "Justice League Unlimited (I wish my first Batman was that one from BTAS, but I was born six years after it). However, it was my dad's first Batman. He used to watch the show every noon when a little boy and had many Batmobile toys. It was a very important character for his childhood. Many adults today share the same memories, that colorful Batman surrounded by onomatopoeia could make any noon funnier. I could watch to the show for the first time as a teenager, after start reading comics and I absolutely love this bubbly version of the character. It always bright up my day. It's a moment of distraction where I forget all of my problems for twenty minutes and I go on adventures with the dynamic duo.


Certas versões do Batman foram esquecidas ou, pelo menos, fingem que não existem, que é o caso do George Clooney no desastroso "Batman e Robin" de 1997 (mentira, não dá pra esquecer os bat-mamilos, nem se tentar muito). Adam West levou ao público um Batman bem diferente do que vemos atualmente nos quadrinhos, jogos e filmes, porém não significa que é uma interpretação ruim. Pelo contrário, é o que mais se destaca e sempre será o mais reconhecido. O universo inteiro da série funciona bem para que ele seja um Batman mais engraçado, e os que cresceram o assistindo não o esquecem jamais. As lembranças, dos antigos ou novos fãs, são recheadas de bons momentos e risadas, memórias felizes. Portanto, manter seu legado vivo não é nada difícil. Não é necessário muito esforço. O Batman de 1966 foi eternizado na cultura pop, assim como o Superman de Christopher Reeve.
Certain versions of the Batman were forgotten, or at least, we pretend they never existed, which is the case of George Clooney on the disastrous "Batman and Robin" from 1997 (okay, fine, it's impossible to forget about the bat-nipples, even if you try really hard). Adam West brought to the audience a very different Batman compared to what we see at the comic books, games and movies today, but it doesn't mean it is a bad one. Actually, it stands out from the rest and will always be the most remembered one. The whole funny universe of the show works and fits him really well and it's so hard to forget after you watch it. The memories, from old and new fans, are filled with good times and laughs, happy memories. That's why it's not hard to keep his legacy alive. There is no need of a hard work. The 1966 Batman was eternized in pop culture, just like Christopher Reeve's Superman.


Não consegui conter as lágrimas ao saber da notícia. Tinha o sonho de poder conhecê-lo um dia, tirar uma foto e pedir seu autógrafo (assim como sonhava em conhecer Yvonne Craig, a Batgirl original e colega de West, que faleceu de câncer de mama em 2015). Também esperava que ele fosse fazer alguma aparição no "The Batman", filme roteirizado e protagonizado pelo (meu crush) Ben Affleck que está em produção. Foi um sábado acinzentado para todos os fãs de Batman. Porém, tenho certeza de que West partiu feliz, sabendo que é muito amado por sua extensa família e pelo mundo inteiro. Teve uma vida longa de muito sucesso e nunca, jamais será esquecido. O Batman vive!
I couldn't take the tears when I got the news. I dreamed of meeting him someday, take a selfie and ask him for an autograph (just like I dreamed of meeting Yvonne Craig too, the original Batgirl and West's co-star, who died from breast cancer in 2015). I also expected him to make a cameo on the upcoming "The Batman", written and starred by (my celebrity crush) Ben Affleck and it's currently in production. It was a grey-ish saturday for all Batman fans. But I'm sure that West passed away happily, aware that he's loved by his huge family and the whole world. He had a long and successful life and will never, ever be forgotten. The Batman lives!


E isso é tudo pessoal! Eu adoraria ouvir suas histórias e lembranças com o Batman do Adam West. Conte pra mim nos comentários! Beijos!
And that's all folks! I'd love to hear your stories and memories on Adam West's Batman. Tell me in the comments! XOXO!

Friday, June 9, 2017

Cuidado com a pele: O que é purging e breakout? / Skincare: What do purging and breakout mean?

ENGLISH TRANSLATION COMING SOON!


Quantas vezes você experimentou um produto para a pele e, no dia seguinte, ela estava mais acneica que antes? E quantas vezes você jogou fora esses produtos por tal motivo? Você sabia que existe um processo de adaptação da pele com novos produtos do qual os especialistas e dermatologistas chamam de purging? Quando saber se a pele está se adaptando ou está tendo uma má reação ao produto (chamado de breakout)? Até pouco tempo, eu nunca havia ouvido falar nesses dois termos. Mudei todos os meus produtos de pele (ver este post). Depois que comecei com os novos produtos, notei que minha pele ganhou algumas espinhas novas e fiquei preocupada. Após uma pesquisa, acabei descobrindo sobre purging e breakout e achei que seria importante compartilhar com vocês, pois mais gente precisa saber disso!


O QUE É PURGING?

Purging quer dizer "purgar", "expulsar". Quando experimenta um produto novo que realmente faz o que cumpre, a fórmula acelera o ciclo de regeneração da pele e expulsa impurezas de debaixo da derme para a superfície, formando espinhas, além da adaptação. O purging dura entre um e três meses, cerca de oito semanas, ou seja, um bom tempo até sua pele realmente ficar bonita. Por isso, é necessário paciência e continuar o uso do produto. As espinhas surgem em locais onde você costuma tê-las. Também é comum acontecer com o uso de medicações para acne. Alguns ingredientes e ações que ativam e aceleram o ciclo da pele são: ácidos hidróxidos, vitamina C, retinoides, perióxido de benzoílo, peeling químico ou à laser, esfoliação. Aqui você pode conferir uma lista mais completa.

Como uma espinha é formada, via Lab Muffin

O QUE É BREAKOUT?

O breakout é o "irmão gêmeo do mal" do purging. É quando sua pele reage negativamente ao produto ou medicamento, entupindo os poros. Pode começar após algum tempo de uso ou não. As espinhas são grandes, feias, aparecem em praticamente todos os lugares do rosto (incluindo onde você não costuma ter acne) e são bem mais inflamadas e císticas. Se as espinhas continuam a surgir após o tempo do purging, significa que acabou causando inflamação na pele. 

VÍDEOS:




O que aprendi lendo sobre purging é que todo o processo de cura é demorado. Sim, dá vontade de desistir de tudo, ninguém gosta de espinhas na pele. Mas é importante ficar atento à como sua pele está reagindo ao produto: se é realmente purging ou um breakout. 
E isso é tudo, pessoal! Espero que tenham achado o post útil! Se tem mais alguma informação para complementá-lo, pode falar nos comentários! Beijinhos ♥

Friday, May 26, 2017

Meu top 4 de séries retrô / My top 4 retro shows

ENGLISH TRANSLATION COMING SOON!


A TV é um dos maiores meios de entretenimento, e agora com streamings como Netflix, Amazon e Hulu, o acesso à séries facilitou muito. Vintagistas, como eu, amam assistir tudo o que possa ampliar nosso conhecimento dos dias dourados, e as séries são uma das formas mais divertidas de estudar o passado. Pensando nisso, organizei quarto das minhas séries retrô favoritas para você conferir e adicionar à sua lista do Netflix!

Miss Fisher's Murder Mysteries (2012 - 2015)
Década / Decade: 1920's
Temporadas / Seasons: 3


Série australiana lindíssima com toda a vibe art deco que merece, "Miss Fisher's" conta a história de Phryne Fisher, uma mulher inteligente, habilidosa e independente que foge dos valores morais da década de 20 em nome de sua própria autoridade. Usando suas habilidades intuitivas e observatórias, ela se torna uma espécie de detetive na cidade de Melbourne. O que a motiva a solucionar crimes é a morte de sua irmã mais nova e procura o homem responsável pelo assassinato. Resumidamente, é a série feminista perfeita com um figurino de encher os olhos!

Agent Carter (2015 - 2016)
Década / Decade: 1940's
Temporadas / Seasons: 2


Quem me conhece sabe que não sou lá muito fã de Marvel (sou DCnauta), mas quando o assunto é Agent Carter eu abro exceção! A série mostra a vida de Peggy Carter após perder seu amor, Steve Rogers (Capitão América para os leigos), que secretamente investiga missões e procura provar a inocência de Howard Stark (pai do Tony Stark, o Homem de Ferro), que é acusado de traição ao país. No entanto, todos acham que ela é apenas uma discreta telefonista. Infelizmente, a série foi cancelada com apenas duas temporadas devido à baixa audiência, mas a Marvel anunciou que voltaremos a ver Peggy... Em desenho!

Mad Men (2007 - 2016)
Década/Decade: 1960's
Temporadas / Seasons: 7


Mad Men é uma das minhas séries favoritas no momento e dispensa explicações! É uma das mais conhecidas se tratando de séries retrô. Mas para quem não sabe, a história se passa na Nova York da década de 60, mais especificamente na Madison Avenue, avenida conhecida por ter grandes prédios de agências publicitárias (e os Mad Men são os publicitários que trabalham arduamente). Uma delas é a Sterling Cooper e Don Draper (que é interpretado pelo GATÍSSIMO e bem-dotado Jon Hamm) se esforça para mantê-la no topo. Os episódios mostram o dia-a-dia na agência paralelo aos problemas pessoais e familiares de Don, que se aprofundam cada vez mais. Ele é o típico personagem que você ama odiar, charmoso, excelente profissional, porém canalha! 

That 70's Show (1998 - 2006)
Década / Decade: 1970's
Temporadas / Seasons: 8


Hello Wisconsin! Estou atualmente viciada nesse renomado sit-com, que foi responsável pela acensão de Mila Kunis, Ashton Kuschter, Laura Prepon e outros. Com piadas e timing excelentes, acompanhamos de perto em oito maravilhosas temporadas a vida de Eric Forman e seus amigos na metade dos anos 70. Se acha que falar de feminismo e assuntos tabu é modinha, tenho que informá-los que That 70's Show já fazia isso! É de longe uma das séries mais engraçadas que já assisti, com ótimas críticas ao machismo e outros problemas frequentes na sociedade.

E isso é tudo pessoal! Tem alguma série retrô que gostaria de me recomendar? Quais têm acompanhado no momento? Conta pra mim! Beijinhos!

Friday, May 12, 2017

A história do boudoir / The story of boudoir


"Boudoir" é, talvez, minha palavra francesa favorita ("é mesmo, Amyh? Nossa, nunca que eu iria imaginar!"). Eu amo como soa, e o que significa. Mas você sabe o que é um boudoir? 
Esqueça as sessões fotográficas sensuais genéricas! Estamos falando do boudoir real! 
"Boudoir" is probably my favorite French word ("oh, really, Amyh? Wow, I'd never wonder in my life!"). I love how it sounds, and what it means. But do you even know what a boudoir is? Forget about the generic sensual photoshoots! We're talking about the real boudoir!

A HISTÓRIA/ THE STORY:

A palavra vêm do verbo francês "bouder" que significa "enfurecer", sendo originalmente um quarto para uma dama quando ela estiver irritada e precisar se retirar (curioso, não?). Logo passou a ser um local para desenhar e bordar, passar o tempo com a pessoa amada, e finalmente, um quarto bem íntimo da mulher, onde ela troca de roupa e conversa com suas amigas. A entrada de qualquer homem era autorizada somente pela dona do boudoir. O escritor Marquis de Sade, expressando sua admiração pelo boudoir em suas obras, popularizou tanto o termo quanto o cômodo, em especial no polêmico "A Filosofia na Alcova" ("La Philosophie Dans le Boudoir"). 
The word comes from French verb "bouder", which means "sulk", so it was originally a private room for a lady when she had to withdraw, a room for sulking in (isn't this curious?). Lately, it would be a woman's drawing and embroidery room, a place to spend time with her beloved one, and finally, a very intimate dressing room for both dressing up and meeting with her friends. The entrance of any men were only authorized by the boudoir's owner. Writer Marquis de Sade, expressing his admiration for the boudoir on his works, ended up helping to popularize both term and room, specially in "Philosophy in the Bedroom", one of his most controversial books. 


Ao redor do mundo, o boudoir obviamente sofreu alterações de acordo com diferentes culturas. Durante o período vitoriano na Inglaterra, o boudoir era o quarto de descanso noturno da mulher, e ela também teria o quarto de descanso matutino e outro para trocar de roupa, sendo assim, o boudoir era comum apenas em casas grandes e de famílias ricas. Em alguns países caribenhos, era a sala em que a mulher entretinha amigos e familiares. A partir da década de 20, a tendência da fotografia erótica localizada no boudoir surgiu. Hoje, nada mais é do que um lugar bonito para se maquiar e se vestir, como faziam as francesas, embora não seja mais tão comum ter um.
Across the world, the boudoir obviously had diverse interpretations according to different cultures. During the Victorian era in England, the boudoir was a lady's night resting room, and she would also own a morning resting room and dressing room, so the boudoir was only seen in large houses and rich families. At some Caribbean English countries, it was a room where the woman would entertain friends and family. From the 1920's, erotic photography set on the boudoir became largely popular. Nowadays, it's nothing but a beautiful place to dress up, just like French women did, though it's not that usual to have one today. 

BOUDOIR FAMOSOS / FAMOUS BOUDOIR:

. Maria Antonieta: A jovem rainha francesa é com certeza uma das responsáveis por tornar o boudoir um sinônimo de luxo e beleza. Tanto o do castelo de Fontainbleau quanto o de Versalhes são conhecidíssimos;
. Marie Antoinette: The young French queen is certainly one of the names that made the boudoir a synonymous for luxury and beauty. Both Fotainbleau and Versailles castles rooms are very well-known;

Versailles Chateau, via This Is Versailles

Fontainbleau Chateau

. Jean Harlow em "Jantar Às Oito": Harlow se mescla com o glamour do boudoir branco e prata,  numa harmonia que imortalizou ambos na história do cinema;
. Jean Harlow in "Dinner at Eight": Harlow is as stunning as her glamorous white and silver boudoir, a beautiful harmony that made both Harlow and the room immortal in the history of cinema;


. Dita Von Teese: É da antiga casa da Dita, e ela vêm vendendo os móveis para começar uma nova decoração, mas seu boudoir inspirado em "Jantar Às Oito" sempre quebrava a internet;
. Dita Von Teese: This one is from Dita's previous house and she's selling the furniture to start a new decoration, but her boudoir inspired by "Dinnet at Eight" always break the internet;


. Rita Hayworth em "Gilda": O filme inteiro é icônico, porém a cena em que Gilda joga seu cabelo ruivo e reencontra seu antigo amor no boudoir é uma das mais marcantes.
. Rita Hayworth in "Gilda": The entire movie is iconic, but the scene where Gilda flicks her hair as she rencounters with her old love at the boudoir is one of the most memorable sequences. 


E isso é tudo pessoal! Depois irei fazer um post só pra falar dos essenciais de um boudoir e como montar um sem gastar muito! Fiquem ligados ;) beijinhos e até a próxima!
And that's all folks! I'll post about the boudoir essentials later, and how to build your very own in a budget! Stay tuned ;) XOXO, see you next time!

Thursday, May 4, 2017

Auto-estima: De patinho feio à cisne

Message to my international little swans: This post in Portuguese only. I apologize, babies! But don't worry, posts with English translation will still happen! 



Todo mundo conhece o conto do patinho feio: o pequeno pato rejeitado por sua aparência estranha que vem a se tornar um cisne belíssimo. Este um dos contos de fada que não é de princesas que mais gosto, porque consigo me ver nas situações que o patinho vive. Hoje eu recebo elogios ao meu estilo e aparência quase diariamente, mas nem sempre foi assim. Foi um longo caminho até eu realmente me tornar um cisne e representar de verdade o Swan do meu nome. Mas vamos aos fatos: o patinho nunca foi feio, ele era diferente das outras aves. Ele tenta ser igual à elas e falha miseravelmente. Acredito que todas as pessoas que não atendem à algum padrão estabelecido pela mídia e sociedade, seja quando falamos de peso, orientação sexual, raça, cabelo ou roupas, sofreu preconceito, rejeição e ofensa em determinado momento, ou o tempo todo. Vou lhes contar um segredinho: assim como o pato nunca foi realmente um pato, você nunca foi feio/aberração/anormal/etc.

Dezembro de 2010, 12 anos

Antes de existir Amyh, existiu Amanda (é, esse é meu nome de verdade, sejam bem-vindos à dura realidade haha). Fui infeliz com minha aparência ainda criança; eu tinha várias colegas altas e queria ser como elas, por mais assustador que fosse uma menina de seis anos com quase 1,60 de altura. Depois entrei precocemente na puberdade e desenvolvi seios muito antes do tempo considerado ideal e era estranho uma menina de nove pra dez anos que já precisava usar sutiã. O tempo passou, e por eu ter desenvolvido seios muito cedo, eles não cresceram muito ao longo da adolescência e uso P. Eu sei que ter seios grandes não é nenhuma maravilha e que eles incomodam e causam dor na coluna, mas a mídia trata seios pequenos como sinônimo de infantilidade e é dificílimo achar um sutiã que não fique grande, ou uma roupa (muitas vezes, preciso de um sutiã maior do que realmente me serve para não sobrar tanto espaço em alguma blusa ou vestido). Daí aos 11 anos comecei a usar óculos e pensei: "Pronto, não há mais chance alguma de ser um mulherão". Não só isso, apesar de ter uma estatura mediana, tenho um corpo pequeno e muito magro, mãos e rosto muito pequenos e tudo fica largo, e por isto todo mundo acha que sou bem mais nova, contrastando com meu nariz que é um pouco grande. Resumindo, eu nunca poderia ser como as VS Angels, que são referência em beleza.
Sofri com depressão e me odiei por muitos anos. Eu queria ser como aquela amiga que está sempre sendo chamada pra ser modelo, como aquela fulana do filme, como a modelo da revista. Durante meu pior tempo sofrendo com depressão, eu não queria saber de cuidar de mim mesma, além de odiar o que eu via no espelho, eu não tinha a menor disposição para isto, pegava num pincel de maquiagem só quando eu precisava sair para trabalhar em alguma festa (sendo filha de profissionais de eventos, acabei concordando em fazer bicos). Some tudo o que eu falei ao fato de ter que ouvir algumas zombarias por parte de colegas, tanto pelo meu físico quanto meu estilo, de roupas e de vida. Fui frustrada por muito tempo por não conseguir sustentar estilos de moda japoneses que eu admirava, como o gyaru e principalmente o lolita.

Descobrindo o delineador em 2009, 11 anos

Depois de fazer tratamento, eu estava disposta a encontrar a felicidade e a minha própria beleza. Foi aí que eu decidi de vez que queria ser pin up e vintagista. Eu consigo me identificar com o corpo de Audrey Hepburn (aniversário dessa linda hoje!), com o estilo de Dita Von Teese e Jayne Mansfield, e não iria me custar uma fortuna como estilos japoneses. Dita me inspirou e me ajudou a cuidar da minha pele e descobrir o poder da maquiagem para criar, não um artifício, mas a mulher que eu desejo ser dentro do meu próprio ideal de beleza e descobrir meus traços. Olho para os visuais dos anos 40 e penso "eu consigo fazer isso!", ao contrário do contorno Kardashian. Passei alguns meses tratando minha pele para me livrar do bronzeado horrível e descuidado. Eu já usava o nome Amyh Swan, mas só ali eu passei a me sentir Amyh Swan. Minha maquiagem, minha roupa e meu estilo de vida são o que eu sou, são o que me fazem feliz e são o que me fazem com que eu me sinta confiante e bonita, atraindo elogios (você pode usar a roupa que for, mas se não estiver vestindo conforto e confiança, é o mesmo que nada!). No pin up e vintage, encontrei minha família com quem compartilho ideias e amigos maravilhosos, além de ter saído do armário e me assumido bissexual.

Aderindo ao batom vermelho em 2014, 16 anos

Hoje em dia, acordo, tomo meu café e vou ir me maquiar, aplicando protetor solar antes de qualquer coisa e em seguida fazendo o olho esfumado, delineador gatinho e traçando os lábios com batom vermelho e formando um cupid's bow (que, a propósito, é natural dos meus lábios). Meu cabelo, agora cortado em Middy, será preso por alguma bandana ou victory roll. Por debaixo da saia, uma lingerie que considero maravilhosa. Nos pés, um salto baixo, mas charmoso. Para finalizar, meu perfume favorito. E ah, tenho muito orgulho dos meus óculos, acho que eles são um charme à mais e não pretendo usar lentes para tudo ou fazer cirurgia. Todo o processo de fazer uma maquiagem é o que me faz feliz e vitoriosa. É o que me faz sentir um cisne. Sim, tem certas coisas que eu ainda tenho vontade de mudar em mim, mas não porque me odeio.
Todo mundo merece achar sua zona de conforto e sua família, assim como quando o pato cresceu e descobriu que nunca pertenceu à família de patos. Meu prazer é criar meu visual e o desfilar por aí -  para algumas pessoas, isso pode ser desconfortável e está tudo bem! Se aceite como você é, tenha confiança e as portas (da alegria e das oportunidades) vão se abrir como mágica. Não se preocupe em ser como os outros e agradar o desconhecido, se preocupe em ser VOCÊ e com a SUA aprovação! E isso é tudo, pessoal!


Sunday, April 30, 2017

Leituras e filmes favoritos de março + Expandindo horizontes / March readings and favorite movies

Olá little swans, como vão vocês? Finalmente, trago as leituras e filmes favoritos de março, no último dia de abril haha. Não sei vocês, mas achei março tão comprido! Eu não vou ter muito o que falar de leituras porque foi um mês muito corrido, foi o meu aniversário no dia 18, tive vários compromissos, além dos estudos. E eu não costumo falar de HQs eróticas que leio aqui, mas eu achei que seria interessante mencionar "A Sobrevivente", de Paul Gillon.
Hey little swans, how you're doing? Today I'm finally bringing you my March readings and favorite movies, at the last day of April haha. Not sure about you, but I thought that March was a really long month! I don't have too much to say about readings this month because I was super busy, it was my birthday on March 18th, I had some jobs, besides my studies. I don't usually talk about the erotic comics I read but I thought that it would be interesting to mention Paul Gillon's "The Survivor"


É uma das HQs eróticas mais interessantes que já li. "A Sobrevivente" é sobre uma mulher sobrevivente (duh) de uma catástrofe nuclear que consegue refúgio numa cidade de arquitetura clássica, porém habitada por robôs. A sinopse nem deixa parecendo que é uma HQ erótica, né? As cenas quentes são só uma cereja no bolo, eu indico para quem quer começar a ler o gênero erótico mas não está muito acostumado com cenas muito explícitas. Tem quatro edições, publicadas entre 1985 e 1991. Gostei muito, achei super diferente e criativo.
This is one of the most interesting erotic comics I've read. "The Survivor" is about a survivor (duh) of a nuclear apocalypse and finds herself in a classic-looking city but inhabitated by robots. It doesn't even sound like an erotic comic, right? The sexy scenes are a bonus, I recommend it to anyone who wants to start reading erotic comics but it's not used to too explicit scenes. It's a saga of four issues, published between 1985 and 1991. I really liked it, it's very different and creative. 

FILMES FAVORITOS / FAVORITE MOVIES:


♥ "Quarto de Roma" de Julio Medem (2010): Estou pra dizer que esse é um dos filmes mais lindos que já vi. "Quarto de Roma" é uma produção erótica espanhola e independente que se passa em apenas uma noite. Uma russa e uma espanhola se encontram por um acaso e vivem uma rápida e intensa paixão em um quarto de hotel. Proposta e enredo simples, mas de uma beleza gigante, além da fotografia maravilhosa e trilha sonora nada comum. Um verdadeiro tesouro! 
♥ "Contos Imorais" de Walerian Borowczyk (1973): Uma antologia francesa, também erótica, com quatro histórias curtas que exploram o sexo de diferentes maneiras. Esse é o tipo de filme que te dá uma porrada na cara e a partir do final do segundo conto, fica difícil não ficar chocado. A melhor parte é que vemos Paloma Picasso interpretando uma condessa com um fetiche bem estranho. Ao meu ver, é bem mais chocante que "Ninfomaníaca"
♥ "A Bela e a Fera" da Disney: Ah, o tão aguardado! Senti que foi meu presente de aniversário, já que foi estreado na véspera (17). O filme teve algumas partes negativas sim, mas atendeu minhas expectativas e quero ver concorrer ao Oscar de melhor figurino e melhor maquiagem. Vocês podem me ouvir comentar mais sobre ele aqui
♥ Julio Medem's "Room in Rome" (2010): I'm about to say that this is one of the prettiest movies I've ever seen. "Room in Rome" is an indie Spanish production set in only one night. A young Russian and a 30-something Spanish met by coincidence and live a fast, but intense affair in a hotel room. It's a simple plot and idea, but a great beauty, with a wonderful photography and unusual soundtrack. A real treasure! 
♥ Walerian Borowczyk's "Immoral Tales" (1973): A French anthology, also erotic, featuring four short tales that explore sex in different ways. This is the kind of movie that punches the viewer right in the face and from the ending of the second tale, it's hard to not be shocked. The best part is that we get to see Paloma Picasso as a countess with a really weird fetish. In my opinion, it's more shocking than "Nymphomaniac"
♥ Disney's "Beauty and the Beast": Ah, finally! I felt like it was my birthday present, since it was premiered on its eve (17th). It had some negative points indeed, but it met my expectations and I hope it will be nominated for best costume and best makeup. 

A menção honrosa de março vai para "Todas as Mulheres Fazem", sexplotation italiano do polêmico Tinto Brass, 1992. Eu queria muito ter gostado desse filme, primeiro porque eu adorei a protagonista (interpretada pela linda Claudia Koll), ela é tão otimista que reluz, e porque a paleta de cores e estética são maravilhosos. A loja de lingerie em que a personagem de Koll trabalha é linda, me deu vontade de ser uma funcionária de lá (embora o dono da loja seja... Estranho). Porém, além de ser um filme um chatinho, acaba objetificando demais as personagens femininas, coisa que muito raramente vejo no cinema erótico europeu, e a retratação do adultério é superficial demais. Infelizmente, não consegui assistir até o final. 
March's honorable mention goes to "All Ladies Do It", an Italian sexplotation by Tinto Brass, 1992. I really wanted to like this movie, I loved the main character (portrayed by the gorgeous Claudia Koll), she's so optimistic she shines, and the color palette and aesthetic are amazing. The lingerie shop where Koll's character works in is so cute, it made me wish I was one of the workers (even though the owner is... Creepy). But it's not only a boring movie, it objectifies the female characters so much, which is rare in erotic European motions, and adultery is portrayed in a superficial, unbelieavable way. Unfortunately, I couldn't watch it to the end. 


Para encerrar e explicar a última parte do título, eu expandi meus horizontes após gravar três edições no Bolsa Nerd, fora o pocket sobre "A Bela e a Fera". O BN foi sim um projeto importante para mim, sou eternamente grata por ter sido convidada pelas meninas para ser fixa no programa e pela oportunidade que elas e o Terra Zero me deram, porém, como alguém que fala na internet já há um tempo, tenho meu público e ele é bem diferente. Sim, eu deixei o BN e a terceira edição foi a minha última - não significa que vou parar de fazer podcasts, até porque estou toda quarta ao vivo no Por Trás da Máscara, apenas tenho outros planos que não cabem no BN e com isso anuncio o Garterbelt Hero, meu novo e segundo blog onde vou falar de cultura pop dando foco nas mulheres, filmes e quadrinhos eróticos e outras coisas que quero mostrar para vocês. Eu sinto que não tem muita gente que fala sobre HQs e produções eróticas então eu quis eu mesma tomar uma inciativa! O blog é 18+, é claro. Espero que gostem e que me acompanhem, obrigada por todo o apoio durante meu tempo no Bolsa Nerd e continuem o ouvindo também ♥


E isso é tudo pessoal! Vou aproveitar para divulgar meu perfil no Letterboxd e acompanhar tudo o que eu estou assistindo! Tem algum filme ou livro/quadrinho que leu em março e quer me indicar? Deixe aqui nos comentários! Beijinhos!
And that's all folks! Follow me on Letterboxd to see what I've been watching recently! Do you want to recommend me a movie or a book/comic you read in March? Leave it in the comments! XOXO