Sunday, June 18, 2017

Adeus à Adam West / Farewell to Adam West


O post desta semana iria ser outro, mas com a triste notícia que o mundo recebeu no fim de semana passado, eu me senti no dever de mudar os planos. Nosso querido e enaltecido Adam West, o Batman de 1966 e a mais icônica versão live-action do herói, faleceu na sexta-feira (9 de junho) após a luta contra a leucemia, aos 88 anos. Como uma fã de Batman há certos anos, o falecimento de West me abalou profundamente. Não me lembro de ter me sentido tão triste com a morte de algum famoso antes. E sendo fã, creio que o mínimo que devo fazer é uma postagem em tributo.
This wasn't supposed to be this week's post but the deeply sad news that ran the world in the past weekend kind of forced me to change the plans. Our beloved Adam West, the 1966 Batman and the most iconic version of this hero, died on Friday 9th after losing his battle against leucemia, at age 88. As a fan of Batman for quite a time, West's death made me feel groundless. I don't remember feeling so sad because of a death of a celebrity before. And as a fan, it's my job to post a tribute for him.


Não posso dizer que West foi o Batman da minha infância. Sou muito nova, tenho apenas 19 anos, nasci no final dos anos 90. Meu primeiro foi o do Val Kilmer no horrível "Batman Eternamente" (que por algum motivo eu gostava) e o da animação "Liga da Justiça Sem Limites" de Bruce Timm, que era transmitido ao final da manhã no SBT (gostaria que o de BTAS tivesse sido meu primeiro, mas nasci seis anos após este). No entanto, foi o primeiro Batman do meu pai. Ele assistia à série todas as tardes quando menino e tinha vários Batmóveis de brinquedo. Foi um personagem bastante presente em sua infância. Muitos adultos de hoje compartilham das mesmas memórias do meu pai, o Batman colorido e rodeado por onomatopeias que tornava qualquer tarde mais divertida. Tive a chance de assistir à série pela primeira vez apenas na adolescência, depois que comecei a ler quadrinhos, e me apaixonei por aquela versão mais descontraída do personagem. Gosto de assistir pela Rede Brasil e um episódio sempre anima meu dia. É um momento de distração onde esqueço todos os problemas por vinte minutos e embarco com a dupla dinâmica para mais uma aventura.
I can't say that West was the Batman of my childhood. I'm really young, I'm only 19 years old, was born in late 90's. My first was Val Kilmer's from the horrible "Batman Eternal" (I liked that movie for some reason) and Bruce Timm's from the animated series "Justice League Unlimited (I wish my first Batman was that one from BTAS, but I was born six years after it). However, it was my dad's first Batman. He used to watch the show every noon when a little boy and had many Batmobile toys. It was a very important character for his childhood. Many adults today share the same memories, that colorful Batman surrounded by onomatopoeia could make any noon funnier. I could watch to the show for the first time as a teenager, after start reading comics and I absolutely love this bubbly version of the character. It always bright up my day. It's a moment of distraction where I forget all of my problems for twenty minutes and I go on adventures with the dynamic duo.


Certas versões do Batman foram esquecidas ou, pelo menos, fingem que não existem, que é o caso do George Clooney no desastroso "Batman e Robin" de 1997 (mentira, não dá pra esquecer os bat-mamilos, nem se tentar muito). Adam West levou ao público um Batman bem diferente do que vemos atualmente nos quadrinhos, jogos e filmes, porém não significa que é uma interpretação ruim. Pelo contrário, é o que mais se destaca e sempre será o mais reconhecido. O universo inteiro da série funciona bem para que ele seja um Batman mais engraçado, e os que cresceram o assistindo não o esquecem jamais. As lembranças, dos antigos ou novos fãs, são recheadas de bons momentos e risadas, memórias felizes. Portanto, manter seu legado vivo não é nada difícil. Não é necessário muito esforço. O Batman de 1966 foi eternizado na cultura pop, assim como o Superman de Christopher Reeve.
Certain versions of the Batman were forgotten, or at least, we pretend they never existed, which is the case of George Clooney on the disastrous "Batman and Robin" from 1997 (okay, fine, it's impossible to forget about the bat-nipples, even if you try really hard). Adam West brought to the audience a very different Batman compared to what we see at the comic books, games and movies today, but it doesn't mean it is a bad one. Actually, it stands out from the rest and will always be the most remembered one. The whole funny universe of the show works and fits him really well and it's so hard to forget after you watch it. The memories, from old and new fans, are filled with good times and laughs, happy memories. That's why it's not hard to keep his legacy alive. There is no need of a hard work. The 1966 Batman was eternized in pop culture, just like Christopher Reeve's Superman.


Não consegui conter as lágrimas ao saber da notícia. Tinha o sonho de poder conhecê-lo um dia, tirar uma foto e pedir seu autógrafo (assim como sonhava em conhecer Yvonne Craig, a Batgirl original e colega de West, que faleceu de câncer de mama em 2015). Também esperava que ele fosse fazer alguma aparição no "The Batman", filme roteirizado e protagonizado pelo (meu crush) Ben Affleck que está em produção. Foi um sábado acinzentado para todos os fãs de Batman. Porém, tenho certeza de que West partiu feliz, sabendo que é muito amado por sua extensa família e pelo mundo inteiro. Teve uma vida longa de muito sucesso e nunca, jamais será esquecido. O Batman vive!
I couldn't take the tears when I got the news. I dreamed of meeting him someday, take a selfie and ask him for an autograph (just like I dreamed of meeting Yvonne Craig too, the original Batgirl and West's co-star, who died from breast cancer in 2015). I also expected him to make a cameo on the upcoming "The Batman", written and starred by (my celebrity crush) Ben Affleck and it's currently in production. It was a grey-ish saturday for all Batman fans. But I'm sure that West passed away happily, aware that he's loved by his huge family and the whole world. He had a long and successful life and will never, ever be forgotten. The Batman lives!


E isso é tudo pessoal! Eu adoraria ouvir suas histórias e lembranças com o Batman do Adam West. Conte pra mim nos comentários! Beijos!
And that's all folks! I'd love to hear your stories and memories on Adam West's Batman. Tell me in the comments! XOXO!

Friday, June 9, 2017

Cuidado com a pele: O que é purging e breakout? / Skincare: What do purging and breakout mean?

ENGLISH TRANSLATION COMING SOON!


Quantas vezes você experimentou um produto para a pele e, no dia seguinte, ela estava mais acneica que antes? E quantas vezes você jogou fora esses produtos por tal motivo? Você sabia que existe um processo de adaptação da pele com novos produtos do qual os especialistas e dermatologistas chamam de purging? Quando saber se a pele está se adaptando ou está tendo uma má reação ao produto (chamado de breakout)? Até pouco tempo, eu nunca havia ouvido falar nesses dois termos. Mudei todos os meus produtos de pele (ver este post). Depois que comecei com os novos produtos, notei que minha pele ganhou algumas espinhas novas e fiquei preocupada. Após uma pesquisa, acabei descobrindo sobre purging e breakout e achei que seria importante compartilhar com vocês, pois mais gente precisa saber disso!


O QUE É PURGING?

Purging quer dizer "purgar", "expulsar". Quando experimenta um produto novo que realmente faz o que cumpre, a fórmula acelera o ciclo de regeneração da pele e expulsa impurezas de debaixo da derme para a superfície, formando espinhas, além da adaptação. O purging dura entre um e três meses, cerca de oito semanas, ou seja, um bom tempo até sua pele realmente ficar bonita. Por isso, é necessário paciência e continuar o uso do produto. As espinhas surgem em locais onde você costuma tê-las. Também é comum acontecer com o uso de medicações para acne. Alguns ingredientes e ações que ativam e aceleram o ciclo da pele são: ácidos hidróxidos, vitamina C, retinoides, perióxido de benzoílo, peeling químico ou à laser, esfoliação. Aqui você pode conferir uma lista mais completa.

Como uma espinha é formada, via Lab Muffin

O QUE É BREAKOUT?

O breakout é o "irmão gêmeo do mal" do purging. É quando sua pele reage negativamente ao produto ou medicamento, entupindo os poros. Pode começar após algum tempo de uso ou não. As espinhas são grandes, feias, aparecem em praticamente todos os lugares do rosto (incluindo onde você não costuma ter acne) e são bem mais inflamadas e císticas. Se as espinhas continuam a surgir após o tempo do purging, significa que acabou causando inflamação na pele. 

VÍDEOS:




O que aprendi lendo sobre purging é que todo o processo de cura é demorado. Sim, dá vontade de desistir de tudo, ninguém gosta de espinhas na pele. Mas é importante ficar atento à como sua pele está reagindo ao produto: se é realmente purging ou um breakout. 
E isso é tudo, pessoal! Espero que tenham achado o post útil! Se tem mais alguma informação para complementá-lo, pode falar nos comentários! Beijinhos ♥

Friday, May 26, 2017

Meu top 4 de séries retrô / My top 4 retro shows

ENGLISH TRANSLATION COMING SOON!


A TV é um dos maiores meios de entretenimento, e agora com streamings como Netflix, Amazon e Hulu, o acesso à séries facilitou muito. Vintagistas, como eu, amam assistir tudo o que possa ampliar nosso conhecimento dos dias dourados, e as séries são uma das formas mais divertidas de estudar o passado. Pensando nisso, organizei quarto das minhas séries retrô favoritas para você conferir e adicionar à sua lista do Netflix!

Miss Fisher's Murder Mysteries (2012 - 2015)
Década / Decade: 1920's
Temporadas / Seasons: 3


Série australiana lindíssima com toda a vibe art deco que merece, "Miss Fisher's" conta a história de Phryne Fisher, uma mulher inteligente, habilidosa e independente que foge dos valores morais da década de 20 em nome de sua própria autoridade. Usando suas habilidades intuitivas e observatórias, ela se torna uma espécie de detetive na cidade de Melbourne. O que a motiva a solucionar crimes é a morte de sua irmã mais nova e procura o homem responsável pelo assassinato. Resumidamente, é a série feminista perfeita com um figurino de encher os olhos!

Agent Carter (2015 - 2016)
Década / Decade: 1940's
Temporadas / Seasons: 2


Quem me conhece sabe que não sou lá muito fã de Marvel (sou DCnauta), mas quando o assunto é Agent Carter eu abro exceção! A série mostra a vida de Peggy Carter após perder seu amor, Steve Rogers (Capitão América para os leigos), que secretamente investiga missões e procura provar a inocência de Howard Stark (pai do Tony Stark, o Homem de Ferro), que é acusado de traição ao país. No entanto, todos acham que ela é apenas uma discreta telefonista. Infelizmente, a série foi cancelada com apenas duas temporadas devido à baixa audiência, mas a Marvel anunciou que voltaremos a ver Peggy... Em desenho!

Mad Men (2007 - 2016)
Década/Decade: 1960's
Temporadas / Seasons: 7


Mad Men é uma das minhas séries favoritas no momento e dispensa explicações! É uma das mais conhecidas se tratando de séries retrô. Mas para quem não sabe, a história se passa na Nova York da década de 60, mais especificamente na Madison Avenue, avenida conhecida por ter grandes prédios de agências publicitárias (e os Mad Men são os publicitários que trabalham arduamente). Uma delas é a Sterling Cooper e Don Draper (que é interpretado pelo GATÍSSIMO e bem-dotado Jon Hamm) se esforça para mantê-la no topo. Os episódios mostram o dia-a-dia na agência paralelo aos problemas pessoais e familiares de Don, que se aprofundam cada vez mais. Ele é o típico personagem que você ama odiar, charmoso, excelente profissional, porém canalha! 

That 70's Show (1998 - 2006)
Década / Decade: 1970's
Temporadas / Seasons: 8


Hello Wisconsin! Estou atualmente viciada nesse renomado sit-com, que foi responsável pela acensão de Mila Kunis, Ashton Kuschter, Laura Prepon e outros. Com piadas e timing excelentes, acompanhamos de perto em oito maravilhosas temporadas a vida de Eric Forman e seus amigos na metade dos anos 70. Se acha que falar de feminismo e assuntos tabu é modinha, tenho que informá-los que That 70's Show já fazia isso! É de longe uma das séries mais engraçadas que já assisti, com ótimas críticas ao machismo e outros problemas frequentes na sociedade.

E isso é tudo pessoal! Tem alguma série retrô que gostaria de me recomendar? Quais têm acompanhado no momento? Conta pra mim! Beijinhos!

Friday, May 12, 2017

A história do boudoir / The story of boudoir


"Boudoir" é, talvez, minha palavra francesa favorita ("é mesmo, Amyh? Nossa, nunca que eu iria imaginar!"). Eu amo como soa, e o que significa. Mas você sabe o que é um boudoir? 
Esqueça as sessões fotográficas sensuais genéricas! Estamos falando do boudoir real! 
"Boudoir" is probably my favorite French word ("oh, really, Amyh? Wow, I'd never wonder in my life!"). I love how it sounds, and what it means. But do you even know what a boudoir is? Forget about the generic sensual photoshoots! We're talking about the real boudoir!

A HISTÓRIA/ THE STORY:

A palavra vêm do verbo francês "bouder" que significa "enfurecer", sendo originalmente um quarto para uma dama quando ela estiver irritada e precisar se retirar (curioso, não?). Logo passou a ser um local para desenhar e bordar, passar o tempo com a pessoa amada, e finalmente, um quarto bem íntimo da mulher, onde ela troca de roupa e conversa com suas amigas. A entrada de qualquer homem era autorizada somente pela dona do boudoir. O escritor Marquis de Sade, expressando sua admiração pelo boudoir em suas obras, popularizou tanto o termo quanto o cômodo, em especial no polêmico "A Filosofia na Alcova" ("La Philosophie Dans le Boudoir"). 
The word comes from French verb "bouder", which means "sulk", so it was originally a private room for a lady when she had to withdraw, a room for sulking in (isn't this curious?). Lately, it would be a woman's drawing and embroidery room, a place to spend time with her beloved one, and finally, a very intimate dressing room for both dressing up and meeting with her friends. The entrance of any men were only authorized by the boudoir's owner. Writer Marquis de Sade, expressing his admiration for the boudoir on his works, ended up helping to popularize both term and room, specially in "Philosophy in the Bedroom", one of his most controversial books. 


Ao redor do mundo, o boudoir obviamente sofreu alterações de acordo com diferentes culturas. Durante o período vitoriano na Inglaterra, o boudoir era o quarto de descanso noturno da mulher, e ela também teria o quarto de descanso matutino e outro para trocar de roupa, sendo assim, o boudoir era comum apenas em casas grandes e de famílias ricas. Em alguns países caribenhos, era a sala em que a mulher entretinha amigos e familiares. A partir da década de 20, a tendência da fotografia erótica localizada no boudoir surgiu. Hoje, nada mais é do que um lugar bonito para se maquiar e se vestir, como faziam as francesas, embora não seja mais tão comum ter um.
Across the world, the boudoir obviously had diverse interpretations according to different cultures. During the Victorian era in England, the boudoir was a lady's night resting room, and she would also own a morning resting room and dressing room, so the boudoir was only seen in large houses and rich families. At some Caribbean English countries, it was a room where the woman would entertain friends and family. From the 1920's, erotic photography set on the boudoir became largely popular. Nowadays, it's nothing but a beautiful place to dress up, just like French women did, though it's not that usual to have one today. 

BOUDOIR FAMOSOS / FAMOUS BOUDOIR:

. Maria Antonieta: A jovem rainha francesa é com certeza uma das responsáveis por tornar o boudoir um sinônimo de luxo e beleza. Tanto o do castelo de Fontainbleau quanto o de Versalhes são conhecidíssimos;
. Marie Antoinette: The young French queen is certainly one of the names that made the boudoir a synonymous for luxury and beauty. Both Fotainbleau and Versailles castles rooms are very well-known;

Versailles Chateau, via This Is Versailles

Fontainbleau Chateau

. Jean Harlow em "Jantar Às Oito": Harlow se mescla com o glamour do boudoir branco e prata,  numa harmonia que imortalizou ambos na história do cinema;
. Jean Harlow in "Dinner at Eight": Harlow is as stunning as her glamorous white and silver boudoir, a beautiful harmony that made both Harlow and the room immortal in the history of cinema;


. Dita Von Teese: É da antiga casa da Dita, e ela vêm vendendo os móveis para começar uma nova decoração, mas seu boudoir inspirado em "Jantar Às Oito" sempre quebrava a internet;
. Dita Von Teese: This one is from Dita's previous house and she's selling the furniture to start a new decoration, but her boudoir inspired by "Dinnet at Eight" always break the internet;


. Rita Hayworth em "Gilda": O filme inteiro é icônico, porém a cena em que Gilda joga seu cabelo ruivo e reencontra seu antigo amor no boudoir é uma das mais marcantes.
. Rita Hayworth in "Gilda": The entire movie is iconic, but the scene where Gilda flicks her hair as she rencounters with her old love at the boudoir is one of the most memorable sequences. 


E isso é tudo pessoal! Depois irei fazer um post só pra falar dos essenciais de um boudoir e como montar um sem gastar muito! Fiquem ligados ;) beijinhos e até a próxima!
And that's all folks! I'll post about the boudoir essentials later, and how to build your very own in a budget! Stay tuned ;) XOXO, see you next time!

Thursday, May 4, 2017

Auto-estima: De patinho feio à cisne

Message to my international little swans: This post in Portuguese only. I apologize, babies! But don't worry, posts with English translation will still happen! 



Todo mundo conhece o conto do patinho feio: o pequeno pato rejeitado por sua aparência estranha que vem a se tornar um cisne belíssimo. Este um dos contos de fada que não é de princesas que mais gosto, porque consigo me ver nas situações que o patinho vive. Hoje eu recebo elogios ao meu estilo e aparência quase diariamente, mas nem sempre foi assim. Foi um longo caminho até eu realmente me tornar um cisne e representar de verdade o Swan do meu nome. Mas vamos aos fatos: o patinho nunca foi feio, ele era diferente das outras aves. Ele tenta ser igual à elas e falha miseravelmente. Acredito que todas as pessoas que não atendem à algum padrão estabelecido pela mídia e sociedade, seja quando falamos de peso, orientação sexual, raça, cabelo ou roupas, sofreu preconceito, rejeição e ofensa em determinado momento, ou o tempo todo. Vou lhes contar um segredinho: assim como o pato nunca foi realmente um pato, você nunca foi feio/aberração/anormal/etc.

Dezembro de 2010, 12 anos

Antes de existir Amyh, existiu Amanda (é, esse é meu nome de verdade, sejam bem-vindos à dura realidade haha). Fui infeliz com minha aparência ainda criança; eu tinha várias colegas altas e queria ser como elas, por mais assustador que fosse uma menina de seis anos com quase 1,60 de altura. Depois entrei precocemente na puberdade e desenvolvi seios muito antes do tempo considerado ideal e era estranho uma menina de nove pra dez anos que já precisava usar sutiã. O tempo passou, e por eu ter desenvolvido seios muito cedo, eles não cresceram muito ao longo da adolescência e uso P. Eu sei que ter seios grandes não é nenhuma maravilha e que eles incomodam e causam dor na coluna, mas a mídia trata seios pequenos como sinônimo de infantilidade e é dificílimo achar um sutiã que não fique grande, ou uma roupa (muitas vezes, preciso de um sutiã maior do que realmente me serve para não sobrar tanto espaço em alguma blusa ou vestido). Daí aos 11 anos comecei a usar óculos e pensei: "Pronto, não há mais chance alguma de ser um mulherão". Não só isso, apesar de ter uma estatura mediana, tenho um corpo pequeno e muito magro, mãos e rosto muito pequenos e tudo fica largo, e por isto todo mundo acha que sou bem mais nova, contrastando com meu nariz que é um pouco grande. Resumindo, eu nunca poderia ser como as VS Angels, que são referência em beleza.
Sofri com depressão e me odiei por muitos anos. Eu queria ser como aquela amiga que está sempre sendo chamada pra ser modelo, como aquela fulana do filme, como a modelo da revista. Durante meu pior tempo sofrendo com depressão, eu não queria saber de cuidar de mim mesma, além de odiar o que eu via no espelho, eu não tinha a menor disposição para isto, pegava num pincel de maquiagem só quando eu precisava sair para trabalhar em alguma festa (sendo filha de profissionais de eventos, acabei concordando em fazer bicos). Some tudo o que eu falei ao fato de ter que ouvir algumas zombarias por parte de colegas, tanto pelo meu físico quanto meu estilo, de roupas e de vida. Fui frustrada por muito tempo por não conseguir sustentar estilos de moda japoneses que eu admirava, como o gyaru e principalmente o lolita.

Descobrindo o delineador em 2009, 11 anos

Depois de fazer tratamento, eu estava disposta a encontrar a felicidade e a minha própria beleza. Foi aí que eu decidi de vez que queria ser pin up e vintagista. Eu consigo me identificar com o corpo de Audrey Hepburn (aniversário dessa linda hoje!), com o estilo de Dita Von Teese e Jayne Mansfield, e não iria me custar uma fortuna como estilos japoneses. Dita me inspirou e me ajudou a cuidar da minha pele e descobrir o poder da maquiagem para criar, não um artifício, mas a mulher que eu desejo ser dentro do meu próprio ideal de beleza e descobrir meus traços. Olho para os visuais dos anos 40 e penso "eu consigo fazer isso!", ao contrário do contorno Kardashian. Passei alguns meses tratando minha pele para me livrar do bronzeado horrível e descuidado. Eu já usava o nome Amyh Swan, mas só ali eu passei a me sentir Amyh Swan. Minha maquiagem, minha roupa e meu estilo de vida são o que eu sou, são o que me fazem feliz e são o que me fazem com que eu me sinta confiante e bonita, atraindo elogios (você pode usar a roupa que for, mas se não estiver vestindo conforto e confiança, é o mesmo que nada!). No pin up e vintage, encontrei minha família com quem compartilho ideias e amigos maravilhosos, além de ter saído do armário e me assumido bissexual.

Aderindo ao batom vermelho em 2014, 16 anos

Hoje em dia, acordo, tomo meu café e vou ir me maquiar, aplicando protetor solar antes de qualquer coisa e em seguida fazendo o olho esfumado, delineador gatinho e traçando os lábios com batom vermelho e formando um cupid's bow (que, a propósito, é natural dos meus lábios). Meu cabelo, agora cortado em Middy, será preso por alguma bandana ou victory roll. Por debaixo da saia, uma lingerie que considero maravilhosa. Nos pés, um salto baixo, mas charmoso. Para finalizar, meu perfume favorito. E ah, tenho muito orgulho dos meus óculos, acho que eles são um charme à mais e não pretendo usar lentes para tudo ou fazer cirurgia. Todo o processo de fazer uma maquiagem é o que me faz feliz e vitoriosa. É o que me faz sentir um cisne. Sim, tem certas coisas que eu ainda tenho vontade de mudar em mim, mas não porque me odeio.
Todo mundo merece achar sua zona de conforto e sua família, assim como quando o pato cresceu e descobriu que nunca pertenceu à família de patos. Meu prazer é criar meu visual e o desfilar por aí -  para algumas pessoas, isso pode ser desconfortável e está tudo bem! Se aceite como você é, tenha confiança e as portas (da alegria e das oportunidades) vão se abrir como mágica. Não se preocupe em ser como os outros e agradar o desconhecido, se preocupe em ser VOCÊ e com a SUA aprovação! E isso é tudo, pessoal!


Sunday, April 30, 2017

Leituras e filmes favoritos de março + Expandindo horizontes / March readings and favorite movies

Olá little swans, como vão vocês? Finalmente, trago as leituras e filmes favoritos de março, no último dia de abril haha. Não sei vocês, mas achei março tão comprido! Eu não vou ter muito o que falar de leituras porque foi um mês muito corrido, foi o meu aniversário no dia 18, tive vários compromissos, além dos estudos. E eu não costumo falar de HQs eróticas que leio aqui, mas eu achei que seria interessante mencionar "A Sobrevivente", de Paul Gillon.
Hey little swans, how you're doing? Today I'm finally bringing you my March readings and favorite movies, at the last day of April haha. Not sure about you, but I thought that March was a really long month! I don't have too much to say about readings this month because I was super busy, it was my birthday on March 18th, I had some jobs, besides my studies. I don't usually talk about the erotic comics I read but I thought that it would be interesting to mention Paul Gillon's "The Survivor"


É uma das HQs eróticas mais interessantes que já li. "A Sobrevivente" é sobre uma mulher sobrevivente (duh) de uma catástrofe nuclear que consegue refúgio numa cidade de arquitetura clássica, porém habitada por robôs. A sinopse nem deixa parecendo que é uma HQ erótica, né? As cenas quentes são só uma cereja no bolo, eu indico para quem quer começar a ler o gênero erótico mas não está muito acostumado com cenas muito explícitas. Tem quatro edições, publicadas entre 1985 e 1991. Gostei muito, achei super diferente e criativo.
This is one of the most interesting erotic comics I've read. "The Survivor" is about a survivor (duh) of a nuclear apocalypse and finds herself in a classic-looking city but inhabitated by robots. It doesn't even sound like an erotic comic, right? The sexy scenes are a bonus, I recommend it to anyone who wants to start reading erotic comics but it's not used to too explicit scenes. It's a saga of four issues, published between 1985 and 1991. I really liked it, it's very different and creative. 

FILMES FAVORITOS / FAVORITE MOVIES:


♥ "Quarto de Roma" de Julio Medem (2010): Estou pra dizer que esse é um dos filmes mais lindos que já vi. "Quarto de Roma" é uma produção erótica espanhola e independente que se passa em apenas uma noite. Uma russa e uma espanhola se encontram por um acaso e vivem uma rápida e intensa paixão em um quarto de hotel. Proposta e enredo simples, mas de uma beleza gigante, além da fotografia maravilhosa e trilha sonora nada comum. Um verdadeiro tesouro! 
♥ "Contos Imorais" de Walerian Borowczyk (1973): Uma antologia francesa, também erótica, com quatro histórias curtas que exploram o sexo de diferentes maneiras. Esse é o tipo de filme que te dá uma porrada na cara e a partir do final do segundo conto, fica difícil não ficar chocado. A melhor parte é que vemos Paloma Picasso interpretando uma condessa com um fetiche bem estranho. Ao meu ver, é bem mais chocante que "Ninfomaníaca"
♥ "A Bela e a Fera" da Disney: Ah, o tão aguardado! Senti que foi meu presente de aniversário, já que foi estreado na véspera (17). O filme teve algumas partes negativas sim, mas atendeu minhas expectativas e quero ver concorrer ao Oscar de melhor figurino e melhor maquiagem. Vocês podem me ouvir comentar mais sobre ele aqui
♥ Julio Medem's "Room in Rome" (2010): I'm about to say that this is one of the prettiest movies I've ever seen. "Room in Rome" is an indie Spanish production set in only one night. A young Russian and a 30-something Spanish met by coincidence and live a fast, but intense affair in a hotel room. It's a simple plot and idea, but a great beauty, with a wonderful photography and unusual soundtrack. A real treasure! 
♥ Walerian Borowczyk's "Immoral Tales" (1973): A French anthology, also erotic, featuring four short tales that explore sex in different ways. This is the kind of movie that punches the viewer right in the face and from the ending of the second tale, it's hard to not be shocked. The best part is that we get to see Paloma Picasso as a countess with a really weird fetish. In my opinion, it's more shocking than "Nymphomaniac"
♥ Disney's "Beauty and the Beast": Ah, finally! I felt like it was my birthday present, since it was premiered on its eve (17th). It had some negative points indeed, but it met my expectations and I hope it will be nominated for best costume and best makeup. 

A menção honrosa de março vai para "Todas as Mulheres Fazem", sexplotation italiano do polêmico Tinto Brass, 1992. Eu queria muito ter gostado desse filme, primeiro porque eu adorei a protagonista (interpretada pela linda Claudia Koll), ela é tão otimista que reluz, e porque a paleta de cores e estética são maravilhosos. A loja de lingerie em que a personagem de Koll trabalha é linda, me deu vontade de ser uma funcionária de lá (embora o dono da loja seja... Estranho). Porém, além de ser um filme um chatinho, acaba objetificando demais as personagens femininas, coisa que muito raramente vejo no cinema erótico europeu, e a retratação do adultério é superficial demais. Infelizmente, não consegui assistir até o final. 
March's honorable mention goes to "All Ladies Do It", an Italian sexplotation by Tinto Brass, 1992. I really wanted to like this movie, I loved the main character (portrayed by the gorgeous Claudia Koll), she's so optimistic she shines, and the color palette and aesthetic are amazing. The lingerie shop where Koll's character works in is so cute, it made me wish I was one of the workers (even though the owner is... Creepy). But it's not only a boring movie, it objectifies the female characters so much, which is rare in erotic European motions, and adultery is portrayed in a superficial, unbelieavable way. Unfortunately, I couldn't watch it to the end. 


Para encerrar e explicar a última parte do título, eu expandi meus horizontes após gravar três edições no Bolsa Nerd, fora o pocket sobre "A Bela e a Fera". O BN foi sim um projeto importante para mim, sou eternamente grata por ter sido convidada pelas meninas para ser fixa no programa e pela oportunidade que elas e o Terra Zero me deram, porém, como alguém que fala na internet já há um tempo, tenho meu público e ele é bem diferente. Sim, eu deixei o BN e a terceira edição foi a minha última - não significa que vou parar de fazer podcasts, até porque estou toda quarta ao vivo no Por Trás da Máscara, apenas tenho outros planos que não cabem no BN e com isso anuncio o Garterbelt Hero, meu novo e segundo blog onde vou falar de cultura pop dando foco nas mulheres, filmes e quadrinhos eróticos e outras coisas que quero mostrar para vocês. Eu sinto que não tem muita gente que fala sobre HQs e produções eróticas então eu quis eu mesma tomar uma inciativa! O blog é 18+, é claro. Espero que gostem e que me acompanhem, obrigada por todo o apoio durante meu tempo no Bolsa Nerd e continuem o ouvindo também ♥


E isso é tudo pessoal! Vou aproveitar para divulgar meu perfil no Letterboxd e acompanhar tudo o que eu estou assistindo! Tem algum filme ou livro/quadrinho que leu em março e quer me indicar? Deixe aqui nos comentários! Beijinhos!
And that's all folks! Follow me on Letterboxd to see what I've been watching recently! Do you want to recommend me a movie or a book/comic you read in March? Leave it in the comments! XOXO

Friday, April 21, 2017

O que tem na minha bolsa / What's in my bag

Hey little swans maravilhosos, tudo bem com vocês? Hoje vou fazer um post que é bem comum entre vários blogs e canais do YouTube, de vários estilos, é um "what's in my bag". Eu adoro posts e vídeos de WIMB, não sei porque não fiz antes haha, acho que é porque ano passado não trabalhei nem estudei, só agora tenho o que mostrar de verdade (risos).
Hey my wonderful little swans, how are you? Today I'll be doing something that is really common and popular among many blogs and YouTube channels, from many different styles, it's a "what's in my bag" kind of post. I love WIMB posts and videos, I don't know why I never did this before haha, I believe it's because I didn't work or study last year, so I had nothing to show (laugh). 


Minha bolsa é esta não-oficial da Mulher-Maravilha que comprei por aproximadamente R$25 no Bairro da Liberdade em São Paulo, há uns... Três anos, acredito eu (na loja, que não lembro qual era especificamente mas era numa galeria, tinha de vários outros heróis, super legal!). Eu a uso desde meu segundo ano no ensino médio, então está um pouco "surrada" e gasta, mas eu a amo porque além de linda, cabe muita coisa! Os chaveiros são um cisne que comprei numa loja bem do lado da Daiso da rua Direita e um da Torre Eiffel que é souvenir de Paris, um amigo que foi à Paris quem me deu.
My bag is this unnofficial Wonder Woman tote I bought for approximately R$25 at Bairro da Liberdade in São Paulo like... Three years ago, I guess (I don't remember the name of the store, but they had a lot of superhero bags there, which is super cool!). I use it since my Junior year at high school, so it's a little worn, but I love it because it's not only cute but it fits so much stuff inside! The charms are a swan I got on a store set next by Daiso and a Tower Eiffel that is a souvenir from Paris, a friend who went to Paris got it for me. 


Como é a bolsa que uso pra ir ao curso de pré-vestibular, o que mais carrego nela são cadernos e material escolar. Na foto acima são meus três cadernos favoritos, da Batgirl de DC Superhero Girls, da Barbie estilo 1959 e do Jason Todd de Batman: Arkham Knight (veio com um poster MARAVILHOSO do Batman ao invés de folha de adesivos). O estojo do Rilakkuma eu comprei na minha segunda ida à Liberdade, na loja Fancy Goods, e eu adoro porque tem muuuitas divisórias.
Since it's my bag for my entrance exam preparatory course (in Brazil, there is no way you can enter collegr without doing entrance exams, many students do more than one exam, that's why there are a lot preparatory courses for the many different exams), so notebooks and school supplies are what I mostly carry on it. On the picture above are my three favorite notebooks, of DC Superhero Girls' Batgirl, 1959-style Barbie and Jason Todd from Batman: Arkham Knight (it came with a BEAUTIFUL Batman poster inside). I got the Rilakkuma pencil case at my second trip to Bairro da Liberdade, on a store called Fancy Goods, and I love it because they're a loooot of dividers. 



Sempre levo meu bullet journal comigo e nunca, jamais, saio de casa sem garrafa d'água, que fica nesta "capinha" de garrafa feita de pelúcia que comprei na minha primeira ida à Daiso (uma gracinha, né?). Óculos de sol são essenciais, eu moro numa cidade muito quente e ensolarada, é difícil sair de casa sem proteção nos olhos. Ás vezes levo o livro que estou lendo ou o meu Nintendo DSi. A bolsinha rosa, da Daiso, é minha carteira (a parte de dentro é revestida por um tecido branco de bolinhas pretas, uma fofura!).
I always take my bullet journal with me and never, ever, leave home without my water bottle, which I take with me in a pink Daiso plush water bottle case I got on my first haul there (isn't it so cute?). Sunglasses are essential, I live in a really hot-weathered and sunny town, it's hard to go out without sun protection in the eyes. Sometimes I take the book I'm currently reading or my Nintendo DSi. The small pink purse, from Daiso, is my wallet (it's polka-dotted in the inside, so cute!).


Agora a parte que importa: a necessaire! Minha necessaire é uma que me dei de presente de aniversário quando fiz 17 anos e também tenho uma frasqueira que combina. Eu não sobrevivo sem minha necessaire, se eu estiver sem nada além dela, celular e a garrafa d'água, eu consigo passar o dia numa boa. Tudo o que eu levo é:
. Batom estou usando no dia, junto com gloss se eu estiver usando por cima do batom (eu estou atualmente usando este gloss azul da Victoria's Secret que ganhei de uma prima que foi aos EUA por cima do Vult N°1, fica a coisa mais linda do mundo!);
. Perfume para reaplicar, se possível. Normalmente uso o Alma de Flores no dia-a-dia, por isso comprei um porta-perfume para ele;
. Pó compacto com espelho. Eu uso este da Vult apenas para reaplicar, antes de sair de casa uso o Coty Airspun;
. Mini-pincel de pó, que veio no kit de pincéis da Capricho em parceria com a Cacau Show;
. Hidratante em embalagem mini. A embalagem é da linha antiga da Cuide-Se Bem da O Boticário, não sei se eles vendem ainda, e o hidratante é o Rosa & Amêndoas da Skala. Fico seis horas debaixo de três ar-condicionados, é impossível a pele não ressecar e reparei que não sou a única que leva hidratante pra sala haha;
. Lenço de tecido porque acho muito charmosinho, pena que manchei de batom, é inevitável;
. Mini-lixa de unha.
E claro, na "semana vermelha" eu levo minha medicação para cólica e absorventes!
Now the part that really matters: the makeup bag! My makeup bag is a gift I got for myself on my 17th birthday and I also have a matching travel toiletry bag. I don't survive without my makeup bag, if I have nothing but my makeup bag, phone and water bottle I can get through the day with no problem. What's inside it is:
. The lipstick I'm wearing, with a lipgloss if I'm wearing it over the lipstick (I'm currently wearing this blue Victoria's Secret Lip Silk that was a gift from my cousin who went to the US, over Vult N°1. It looks so pretty!);
. Perfume to reapply throughout the day, if possible. I usually wear Alma de Flores on a daily basis, so that's why I got an atomizer for it;
. Compact face powder with mirror. I use this one by Vult only for reapplies because I put on a good coat of Coty Airspun before I leave home;
. Mini powder brush;
. Body lotion in a travel-size package. this is a rose & almods scented lotion. I stay six hours everyday under three air conditioners for six hours, it's impossible to not feel your skin becoming really dry and I've noticed that I'm not the only one who takes moisturizers to the classroom haha;
. Handkerchief because I think it's very charming, it's a shame that I stained it with lipstick, I can't help it;
. Mini nail file.
And of course, during the "red week" I take my cramp medicines and pads!



E isso é tudo, pessoal! Agora quero saber o que vocês levam na bolsa também! Desafio a Ichigo para fazer um post similar! Beijinhos!
And that's all folks! Now I want to know what's in your bag! I challange Ichigo to do a similar post! XOXO



OBS: Vou responder à todos os comentários nas postagens anteriores neste fim de semana (dias 22 e 23 de abril)!
PS: I'll be answering to all coments on preview posts this weekend (April 22 and 23!)

Wednesday, April 12, 2017

Movie Review: The Love Witch (2016)


Olá meus little swans! Como prometido, hoje trago a resenha do filme "The Love Witch", história original e dirigida pela cineasta indie Anna Biller. Lembrando que é um filme B de baixo orçamento que não tem nome em português oficial, "The Love Witch" resgata a estética do horror trash dos anos 60 e 70. O filme narra a história de Elaine (Samantha Robinson), uma jovem bruxa recém-enviuvada que se muda para uma pequena cidade do interior da Califórnia, Arcata, em busca de um recomeço e um novo amor digno de conto de fadas. Porém, Elaine é perversa e muito idealista, o que a leva a se enjoar facilmente dos seus parceiros e sempre os enfeitiça no final. Os moradores da cidade estranham os acontecimentos recentes, dando início à uma caça às bruxas. 
Hi my little swans! As promised, today I'm bringing you guys the review for "The Love Witch" movie, Anna Biller's original story and directed by herself. A low-priced B movie, "The Love Witch" pays tribute to 60's and 70's trash horror aesthetic. The movie narrates the story of Elaine (Samantha Robinson), a recently widowed young witch who moves to a small town in California, Arcata, to find a new, fairytale-worthy love and restart her life. Although, Elaine is perverse and idealistic, which takes her to get rid of her partners and always end up putting a spell on them. The fellow citizens notice magic in the air, starting a witch hunt. 

PRODUÇÃO / PRODUCTION:

Samantha Robinson as Elaine

Mesmo sendo um filme independente e barato se comparado à produções blockbuster, ele não erra em se passar por um longa da década de 60. A fotografia, paleta de cores, figurino, maquiagem e produção de arte são visivelmente calculados para reproduzir um filme retrô com perfeição. Biller não ficou responsável apenas pela direção e roteiro e cuidou também do figurino, cenário e produção. No entanto, dois momentos quebram brevemente a maravilhosa estética do filme: carros modernos demais e um iPhone em um dos cenários mais bonitos daquele universo, o café vitoriano. São relevantes, mas o telespectador poderia ter ficado sem estas, mesmo que a história não seja exatamente datada no passado. Na minha opinião, as cenas que mais se parecem autenticamente mid-century se passam na loja esotérica e delegacia.
Even though it's an indie and low-cost movie compared to blockbuster productions, it doesn't make mistakes while making it look exactly like a 1960's technicolor screen. Photography, color palette, costumes, makeup and art production are perfectly made to reproduce a retro movie with such perfection. Biller wasn't only responsible for directing and script, but costume & scenery design and production as well. Although, two moments break the beautiful aesthetic: too much modern-day cars and an iPhone at one of the most beautiful sceneries inside that universe: the victorian cafe. They're irrelevant details, but I think that iPhones were unnecessary, even though the plot is not set in the past. In my opinion, the scenes that look most vintage are set in the magick shop and police department. 

ATUAÇÃO / ACTING:

Laura Waddell as Trish & Samantha Robinson

Nenhum ator deixa a desejar, mas se você não tem costume de assistir filmes dos anos 60, muita calma nessa hora, pois Robinson é "estilizada" para imitar o ideal de atuação da época e do gênero - coisa que fez muito bem. Ela está longe de ser uma Catherine Deneuve, muito menos Audrey Hepburn, mas é adequadíssima para um filme de horror trash.
There is no bad actor, but if you're not used to watch 60's movies, be patient since Robinson was supposed to impersonate the ideal acting from that time and genre - and she did it very well. She's not a Catherine Deneuve, nor Audrey Hepburn, but fits really well in a trash horror movie.

FEMINISMO / FEMINISM:


Feminista assumida, Biller leva a temática para suas obras e Elaine fica entre uma feminista e uma mulher presa na antiga ideia de que precisa de um amor para ser feliz. É muito interessante como Biller trabalha a ideia de uma mulher tão segura de sua sexualidade e religião, porém tão ingênua. Também é curioso como Trish, a amiga de Elaine que é casada, tem uma noção muito melhor e correta do que é o patriarcado e os problemas da sociedade quanto à idealização de um amor romântico. 
A self-proclaimed feminist, Biller brings this discussion to her works and Elaine is something in between of a feminist and a woman stuck by that old, romantic idea that she needs a man to be happy. It's really interesting how Biller works on this whole idea of a woman who is so confident about her sexuality and religion, but so naive. It's also curious how Trish, Elaine's married friend, has a so much better and accurate thought on patriarchy and the problems of a perfectly romantic relationship. 

RELIGIÃO E BRUXARIA / RELIGION AND WITCHCRAFT:


Um dos meus medos quanto à esse filme foi a representação da bruxaria, mas Biller fez muito bem e deixou claro que estudou bastante sobre religiões pagãs. Não é uma representação 100% verídica e perfeita (já que existe um pouco de fantasia, como era de se esperar), mas várias religiões relacionadas à bruxaria são mencionadas e diferenciadas ao longo do filme. Como wiccana, gostei de ver a wicca sendo mencionada. Não é revelado ao certo qual a "vertente" de Elaine, mas o filme mostra mais sobre satanismo e magia negra.
One of my concerns on this movie was how witchcraft was going to be represented, but Biller did an amazing job and made it clear that she researched a lot about pagan religions. It's not a 100% accurate representation (since there's a little bit of fantasy, as you should expect), but many witchcraft-related religions were mentioned and differentiated during the movie. As a Wiccan myself, I liked seeing wicca being mentioned. It is not mentioned Elaine's exact belief, but most of the movie shows about satanism and black magic. 

BUMP'N GRIND:

April Showers

Minha coisa favorita do filme é: tem burlesque! É só um detalhe pequeno e charmoso do longa, mas a lindíssima April Showers, showgirl de Los Angeles, aparece dando uma "palinha" belíssima na casa burlesca fictícia de Arcata, que é um cenário frequente.
My favorite thing about this movie: burlesque! It's a small and charming thing about it, but the beautiful April Showers from Los Angeles appears to tease us in the beautiful fictional burlesque house of Arcata, which is a frequent location.

VEREDITO FINAL / FINAL VERDICT:

Elle Evans & Fair Micaela Griffin as Gemini Twins
Não, elas não são gêmeas de verdade (!) / No, they're not real twins (!)

É de cair o queixo o que Biller é capaz de fazer sem ter o apoio e orçamento Hollywoodiano. Eu gostei muito mesmo do filme, achei muito bem explorado o tema da bruxaria, feminismo e idealização do amor, e como já mencionado quinhentas vezes, a estética é de encher os olhos. Porém, tenho minha ressalva: eu entendo que segue a linha dos roteiros dos anos 60 e 70 e na época eles costumavam acabar bem vagos, mas o final poderia ser bem melhor. Não vou entrar em detalhes, é claro, só achei que ficou bem vazio. Me tornei fã de Biller após "The Love Witch", recomendo a qualquer fã de filmes indie e vou procurar por "Viva", filme de 2007 protagonizado pela própria e, acreditem, visual muito parecido com o de Elaine, já que ela mesma tem a sombra azul como sua marca registrada:
It's jaw-dropping when you realize how much Biller is capable of without the Hollywoodian support and budget. I really enjoyed the movie, I think the witchcraft, feminism and love idealization themes were so well-explored, and as mentioned a million times, the aesthetic is so good. But I have a small complain: I understant that it takes the "60's/70's script" thing to the max, plus the endings used to be very vage, but the ending coulb be so much better. I will not talk about it too much, of course, but I thought that it was so empty. I became a fan of Biller after watching "The Love Witch", I recommend it to any fan of indie productions and I'll be looking for "Viva", a 2007 movie starring Biller herself, and, seriously, a really similar look to Elaine's, since she wears the same blue eyeshadow as her signature look:

Anna Biller, "Viva"


Super acessível curtindo meu tweet! / 
She liked my tweet!

Isso é tudo pessoal, espero que tenham curtido a resenha e assistam "The Love Witch"! Até a próxima! Beijos!
That's all folks, I hope you liked this review and will take a look on "The Love Witch"! See you next time! XO!

Wednesday, March 29, 2017

Glamour Bathing 101

ENGLISH TRANSLATION COMING SOON!


Não sei vocês, mas para mim, o banho é a hora mais sagrada do dia, e como alguém que ama e crê em Afrodite, é o momento em que me conecto com a deusa através do seu elemento (água) e à beleza, além de fazer ir para o ralo o cansaço e a sujeira do dia. Imagino que muitos de vocês compartilham esse sentimento de amor com a hora do banho, então pensei em fazer este post super especial com sugestões e produtos para deixar esse momento mais glamouroso! 

SABONETES / SOAPS:


God, I wish I never spoke, now I gotta wash my mouth out with soap ♫ *sonzinhos de bolhas estourando*
Não existe banho sem sabonete, concordam? É um item que todo mundo compra quando vai ao supermercado, mas caiu tanto na rotina que pegamos qualquer um que vemos na prateleira. Eu sou tão "chata" com sabonetes que enquanto meus pais compartilham o mesmo, o meu fica em uma saboneteira e apenas eu o uso porque meu gosto é bem diferente do deles. Gosto de essências que projetam mais, clássicas e diferentes. Normalmente compro o clássico/original da Alma de Flores, mas no momento estou AMANDO o Cedro dos Marrocos e Limão Siciliano da Phebo (por incrível que pareça, não consegui gostar do original de rosas). Invista em um cheiro que seja a sua cara e te acalme, desperte sensações e emoções, liste seus favoritos. É interessante ler um pouquinho sobre aromaterapia também!
Se você gosta mais de sabonetes líquidos, hoje existem opções bem divertidas. O meu favorito é o da Alma de Flores Queen, com partículas iluminadoras, ou seja, um micro-glitter que não agride o meio-ambiente!

ÓLEOS / OILS:




Óleo é sempre muito bom para massagem, seja com você fazendo em si mesmo ou com alguma outra pessoa te ajudando (*piscadinha*). O uso no banho é melhor que após porque a pele não fica grudenta e brilhante além de que retêm água na derme, então novamente, leia sobre aromaterapia e escolha o que melhor lhe agradar. Você pode começar uma pequena coleção de óleos com várias funções diferentes: anti-estresse, afrodisíaco, relaxante, anti-depressivo (dica: ylang-ylang é tanto afrodisíaco quanto anti-depressivo!), etc. 

ESPONJAS / SPONGES AND LOOFAHS:


Quem tem preferência por sabonete líquido com certeza quer uma esponja bem fofa para combinar. Alguns odeiam porque dizem ser propícios para acumular bactérias, mas é só deixar secando em local arejado após o banho e não terá problemas.

BANHO DE ESPUMAS / BUBBLE BATH:


Sou meio leiga quanto à banho de banheira porque não tenho uma, mas sei que as bath bombs são super populares e as espumas nunca saem de moda! Também tem a clássica opção de acrescentar pétalas de rosa.

ESFOLIAÇÃO / EXFOLIATION:


Não é necessário esfoliar a pele todos os dias, até porque seria muito agressivo. Eu, particularmente, gosto de esfoliar uma vez na semana. Você pode tanto comprar um esfoliante quanto fazer um natural, tem várias receitas legais pela internet, livros e revistas. Esfoliação remove pele morta e acaba com um bronzeado desagradável! 

E de volta ao boudoir... / And back to the boudoir...


Você está de banho tomado, limpa, cheirosa e revigorada - e agora? Hora de cuidar da pele, é claro! Se sua pele é seca como a minha, ela provavelmente irá precisar de uma hidratação, mas é sempre bom hidratar mesmo se sua pele for normal. Existe uma seleção enorme de hidratantes no mercado para todas as peles e gostos! Não se esqueça da pele do rosto.

♥ Outras dicas / Other tips:
. Que tal velas aromáticas ou difusores para deixar um cheirinho no ar também?
. Talco perfumado após o banho permite a sensação de frescor e limpeza durar mais tempo. Não, não é a mesma coisa que talco de bebê!
. Tenha hidratante para também para mãos e pés.
. Desodorante após o banho NUNCA é opcional!
. Um bom e bonito robe ou roupão e pantufas fofinhas são perfeitos para manter o estilo.
. A dica a seguir é 18+, então arraste o mouse no espaço branco até o coração se quiser conferir: Parece que estamos finalmente quebrando o tabu da masturbação feminina e o chuveiro têm sido um grande aliado das mulheres quando esse é o assunto. Pensando nisso, várias empresas já desenvolveram sex toys para serem usados no chuveiro e você provavelmente já ouviu falar dos vibradores à prova d'água. Eles são encontrados em todas as faixas de preço, é uma ótima dica para dar um "upgrade" na vida sexual, seja sozinha ou acompanhada

Isso é tudo pessoal! Deixem nos comentários quais produtos mais gostam de usar no banho e compartilhe alguma dica, se tiver! Beijinhos!